Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]





...

por Clementine Tangerina, em 14.11.06


As vezes paro para pensar e penso "terei eu nascido na família errada?" mas quem é que nunca lhe passou isto pela cabeça que dê um passo em frente e grite bem alto.
Bem comigo não é diferente. Quem convive comigo na intimidade sabe que a minha casa por vezes parece a Sta. Casa da Misericórdia, ele são tios, avós, primos enfim...tudo lá para e nunca por menos de um mês. Eu sei que a animação é importante, o convívio, o dialogo blablalbalbla... mas ao fim de uma semana tudo muda, a avó começa a ficar feita criança "...aiiii isso é muita comida...a d. X tem menos que eu..." e depois dá vontade de dizer " ohhh senhora, coma e deixe no prato o que quiser..." mas não...nada disso.

Não fosse essa a aventura de 2 em 2 meses, ter a casa transformada em albergue social...que quando existem os intervalos, há sempre uma alminha da família que faz questão de arranjar problemas e de comentar a vida alheia, com a maior malvadez do mundo.

Um dia destes ouvi a Leonor Seixas a dizer numa entrevista que não sentia muita falta de casa, porque sempre gostou muito de viajar e trabalhar fora...aiii Leonor como eu te compreendo...não há nada melhor que viver longe para que não haja motivo para conversas.

Um dia destes ao jantar, enquanto se falava de desporto (sim porque há refeições que é inevitável...quando está presente alguém que só vê isso à frente...) o meu pai teve a brilhante saída para mim "ahhh tu...ahahahaha tu não tens jeito nenhum para o ténis..." ao que eu respondi " ...pois é natural, nunca pratiquei muito e já não jogo há uns bons anos..." ! E claro que ainda tive que lhe responder "...assim com esse comentário é que me motivas muito a jogar...".
Quem assistiu a este belo momento familiar, pensou que eu tinha ficado ofendida com o comentário do meu pai por ele me dizer que eu não sabia jogar ténis...mas a verdade é que aquele foi a gota de água no oceano.

É muito gratificante para um filho ouvir criticas, mas não ouvir aplausos e palavras de motivação.
Acho que até hoje todos pensam que eu ainda não sei escrever uma frase completa sem dar erros, ou se sabem não o manifestam. Não se trata de pessoas que não naveguem na Internet, e nos blogues, muito pelo contrário...até costumam ler, mas não o meu. O amor em part-time, não está nas leituras diárias dos meus pais. Lá é nome que se dê a um blog...
Enfim...e como eu não tenho jeito para o ténis cá me vou mantendo a fingir que tenho jeito para a escrita.

Autoria e outros dados (tags, etc)


11 comentários

Sem imagem de perfil

De Mariana a 14.11.2006 às 12:20

Como eu compreendo a confusão que é ter casa cheia.
Essa da avó a mandar vir sempre com a quantidade, fez-me lembrar a minha à uns tempos quando cá vivia.
Dos pais nem vou falar, tanto eles têm todos a mesma atitude, como os filhos as mesmas opiniões.

Eu gosto da tua escrita. Muito.
(Obrigada pelo trabalho no meu blog)

Beijinho.*
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 14.11.2006 às 12:34

Família em casa:
Só a tinha em aniversarios, natal e passagem de ano... e se no fim estava cansada, calculo mais do que um dia como é que tu te sentes!
:)
Calculo que tens dias em que gostavas de ter um comando e fazer mute nesse pessoal!

Pais:
O meu pai não é assim tao diferente do teu... compreendo-te. eu aprendi uma coisa no que toca a estes assuntos e acredito que a familia não escolhemos, mas os amigos são a familia que nós construimos e escolhemos para dividir grande parte da nossa vida!
:)
eu também não sei jogar tenis, não sei fazer contas de matemática, não sou advogada como o meu pai queria... escrevo e tento levar o melhor desta vida só valorizando quem me valoriza.
Sem imagem de perfil

De Joana a 14.11.2006 às 13:02

Família em casa:
Só a tinha em aniversarios, natal e passagem de ano... e se no fim estava cansada, calculo mais do que um dia como é que tu te sentes!
:)
Calculo que tens dias em que gostavas de ter um comando e fazer mute nesse pessoal!

Pais:
O meu pai não é assim tao diferente do teu... compreendo-te. eu aprendi uma coisa no que toca a estes assuntos e acredito que a familia não escolhemos, mas os amigos são a familia que nós construimos e escolhemos para dividir grande parte da nossa vida!
:)
eu também não sei jogar tenis, não sei fazer contas de matemática, não sou advogada como o meu pai queria... escrevo e tento levar o melhor desta vida só valorizando quem me valoriza.
Sem imagem de perfil

De corvo do mar a 14.11.2006 às 13:07

E VERDADE PARECE QUE TE VAIS SAFANDO
;P
*
Sem imagem de perfil

De mags a 14.11.2006 às 13:21

finges??? escreves lindamente e deixa-te de coisas q adoro ler as tuas histórias... ealem de seres as minha fotógrafa favorita!!!!
podes já n saebr jogar ténis, mas o teu pai tb n deve saber andar de saltos altos!!!! :PPPP
nariz empinado oh faxavor q voce é linda!!!!!
Sem imagem de perfil

De Som do Silêncio a 14.11.2006 às 23:02

Tu escreves muito bem, e o resultado é nós sempre que podemos fazemos a visita ao teu blog :-)))
Falo por mim, e gosto muito.
Sem imagem de perfil

De boleia a 15.11.2006 às 01:02

oh clementina! eu reconheco a tua sabedoria ;)
e sobre o tenis... eu tb so bato bolas, LOL!
Nas familias, de facto, ha de tudo!
Sem imagem de perfil

De Leididi a 15.11.2006 às 09:36

É...os pais às vezes são tontinhos. Não ligues, não é por mal. Certamente que te adoram mais que qualquer coisa na vida. Mesmo :)
Sem imagem de perfil

De Lipa a 15.11.2006 às 17:05

Eu também penso o mesmo da minha familia, dos meus pais e principalmente da minha mãe... Mas quando penso melhor, e quando olho á volta... Se um dia eles me faltam, o que vai ser de mim?
Pensa nisso! Beijinhos
Sem imagem de perfil

De Clementine Tangerina a 15.11.2006 às 17:10

Lipa,

Eu acho que uma coisa não tem nada a ver com a outra. Uma coisa é eles no seu dia a dia se "esquecerem" do papel deles. E outra completamente diferente é um dia eles desaparecerem da minha vida.
Quando escrevo estes desabafos, não estou a dizer que não vou sentir falta deles um dia, muito pelo contrario. Se os faço é porque eles me fazem falta no meu dia a dia, porque sinto saudades de quando era mais nova e se os abraçava, não questionavam como acontece actualmente.
Tudo no seu lugar.

Comentar post


Pág. 1/2



Mais sobre mim

foto do autor




Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2012
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2011
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2010
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2009
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2008
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2007
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2006
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2005
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D