Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]





Da Biblia ao Livro de Reclamações...

por Clementine Tangerina, em 19.10.07




Há umas semanas enquanto lia o jornal Meia Hora (jornal de distribuição gratuita como há o Destak, Metro...) vi que existia um passatempo oferecendo bilhetes para o teatro Estúdio Mário Viegas. Decidi concorrer e sorte das sortes ganhei juntamente com uma colega de trabalho 2 vouchers (duplos) para irmos. Decidimos ir levantar os bilhetes ao jornal e como nos indicaram no mesmo, ligamos para o teatro a marcar a data para irmos ver a peça. Entre as três peças que estão em cena escolhemos "A Bíblia: Toda a Palavra de Deus (Sintetizada)".
Ontem quando nos dirigimos para ir trocar junto da bilheteira, os vouchers por bilhetes, a senhora que estava na bilheteira (que nem na bilheteira estava porque andava de um lado para o outro, ora ia "arrumar" as pessoas nos lugares, ora estava na bilheteira. Pessoas multifacetadas é que se quer neste pais...) disse-nos "Ah perderam o direito aos vossos bilhetes" e surpreendidas perguntamos o motivo. Em tom de despachar (sim porque tinha muita gente para ela ir "arrumar") disse-nos que tínhamos que ter levantado os bilhetes até dois dias após a marcação. Tanto no jornal como no próprio teatro, ninguém nos informou de tal situação. Tentamos argumentar com a senhora, e ela cada vez estava com menos paciência para ouvir a nossa insatisfação. Começando mesmo a dar sinais de estar cansada de nós ouvir. Perante o desprezo dela na resolução do problema, e visto ela nos ter informado que situações daquelas já tinha sucedido, não vi outra solução se não pedir o livro de reclamações.

Quando proferi a palavra "LIVRO DE RECLAMAÇÕES" a senhora virou bicho. Começou a subir o tom e a dizer para toda a gente que passava que queríamos o livro de reclamações. Informou-nos que tínhamos era que reclamar com o jornal em questão, e que não fazia sentido nenhum escrevermos. Tentamos explicar-lhe o nosso ponto de vista, mas foi em vão. Até que do nada e depois de se revelar muito nervosa, nos disse " ...ganham bilhetes grátis e ainda vem para aqui reclamar". Sim, a dita senhora disse-nos isto. E a partir dai começou a descambar na conversa, mandando-nos calar inclusive enquanto estava ao telefone.
Para além de termos vontade de reclamar da situação em si, como é obvio acabamos por reclamar da dita senhora. Que desde o primeiro minuto que nos viu e até terminarmos de escrever a reclamação, não parou de ser mal educada.

Mas não se ficou por aqui, um dos Directores Executivos, do mesmo teatro também revelou ter o mesmo tipo de educação que a dita senhora. Dirigiu-se a nós e disse-nos que tínhamos era que ir reclamar com o jornal. Informa-mos que iríamos reclamar como tínhamos dito anteriormente, o discurso dele foi curto e grosso"...em 17 anos de teatro nunca tivemos uma reclamação (mentira porque eu vi lá uma escrita!)" ao que lhe respondemos "...então hoje vão ter a primeira..." ao que nos disse " ...podem escrever duas ou três reclamações, estejam à vontade".

Enquanto aguardávamos que a dita senhora atendesse os restantes espectadores, ouvi-a vender bilhetes para as escadas...sim escadas...não era os lugares junto às escadas...mas sim lugares sentados nas escadas. E é aqui que eu me pergunto, por lei por questões de segurança não é proibido haver pessoas sentadas (com ou sem bilhete pago) nas escadas?
Foi uma atrás da outra...

Pois bem...é este o pais que vivemos? Lá por não pagarmos bilhetes significa que somos mal atendido? Não é um direito cívico pudermos reclamar quando nos é prestado um mau serviço?

Já estou a tratar de enviar a reclamação para o
IGAC (inspecção geral de actividades culturais) para que eles façam o que é de direito.

Autoria e outros dados (tags, etc)


13 comentários

Sem imagem de perfil

De framboesa a 19.10.2007 às 15:55

é no minimo absurdo os bilhetes nas escadas!!!e claro que em questões de segurança é como as portas de saída de emergência trancadas!!!
relativamente à reserva deveriam ter informado que os bilhetes deveriam ser levantados até à suposta data como fazem em qualquer outro lugar!!!
a polivalência nestes casos é no que dá e no caso nem lhe adiantou o facto de ser mulher e termos a capacidade de pensar e fazer várias coisas ao mesmo tempo e ainda de saltos altos (talvez ela não os use)...
Sem imagem de perfil

De mir a 19.10.2007 às 16:17

... e tanta gente boa sem emprego!

Reclama para onde puderes; este país bem precisa de ser educado.
Sem imagem de perfil

De Shadows in Love a 20.10.2007 às 19:03

Queres saber onde vão parar as tuas reclamações?? Julgo que sabes bem onde... mas o melhor é reclamar sempre para que esta "gentinha" veja que não pode fazer tudo o que quer...
Sem imagem de perfil

De Branca de Neve a 22.10.2007 às 12:43

Nestes casos, quando se negam a apresentar o Livro de Reclamações, deves chamar a polícia. É mais um direito.
No teu lugar, divulgava essa reclamação o mais possível, para não ficar esquecida.

Beijinhos
Sem imagem de perfil

De mary a 22.10.2007 às 15:45

eu e a alminha mariana tb fomos muito "bem" atendidas no Politeama.. Sim, também tinhamos ganho bilhetes, mas e então?....
Sem imagem de perfil

De Joana a 22.10.2007 às 17:22

Repara... se vivesses num país civilizado, em que os senhores do teatro se tivessem prontamente disponibilizado para resolver o teu problema e marcares outro dia para ires ver a peça e tivessem sido educados, não tinhas esta história para contar, não estavas certamente a viver em Portugal e não tinha tanta "piada" como teve!
:)
eu gosto de ti!
dá cá um abraço!
bjs
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 22.10.2007 às 20:25

que situação desagradável! independentemente de tudo isto digo-te que vale mesmo a pena ir ver a peça , é fenomenal! espero que esta situação não te demova de ver bom teatro , apesar de por vezes existirem algumas pessoas responsáveis que não se comportam à altura com os espectadores .

Claudia Joana
Sem imagem de perfil

De abox a 23.10.2007 às 21:18

é triste realmente... e foi pena.. não teres visto a peça! sei de fonte segura que é o máximo!
era uma das que eu gostava de ter visto qundo estive em lx...
não desistas... ;)
beijinhos!
Sem imagem de perfil

De Luís Macedo a 12.11.2007 às 18:27

Atendendo ao que relata não posso deixar de dar-lhe razão, para mais partindo do ponto de vista que "o público tem sempre razão", mas, e como profissional da área, também sei que às vezes deveria existir um livro de reclamação sobre o público. O relato deste tipo de situações faz-me sempre pensar na questão rodoviária em que a culpa é imputada por defeito ao automobilista e (quase) nunca ao peão. Se de facto há incorrecções da parte de quem atende, também as há por quem é atendido e, concedamos, sem a possibilidade de poder recorrer a mecanismos de queixa. No caso vertente, ainda assim pôde munir-se do «Livro de Reclamações», da denúncia que vai intentar junto da IGAC e do seu blog, de repercussão pública e, para mais, dando uma visão forçosamente unilateral do sucesso. Imagina-se a escrever no seu blog uma situação inversa, com laivos de mea-culpa pública tão em voga nos EUA!? Eu sei que a regra confirma a excepção, como o demonstra o caso vertente; contudo, os profissionais do espectáculo sabem que o público de convites/passatempos é por norma o «pior público». A situação aqui referida reflete um comportamento manifestamente desadequado, mas também espero que reflictamos com a mesma dose de equidade que nas mais das vezes quem atende fica manifestamente a perder! Ainda assim reitero as palavras doutros comentários: não deixe de divertir-se com "A Bíblia" e conceda o benefício da dúvida à visada. Partilho da convicção de que o grau de civilidade duma sociedade se afere também pela capacidade de pensar o «outro» ainda que tal não surta obviamente numa sumária desculpabilização, ao invés numa também desejável «compreensão». Saudações teatrais.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 12.11.2007 às 19:21

sinceramente ja la fui ver a peça e nao tive nehum tipo de problemas seja com o pessoal ou com o teatro em si ,alias foram bastante acessiveis com a minha pessoa...acho aqui um certo exagero e destaque a questoes q teem pouco interesse,algo mais se passou a historia n deve ter começado logo ai..mas cada um sabe de si..espero q tudo acabe em bem e sem grandes alaridos sem importacia ...fiquem bem e vejam a peça =)

Comentar post


Pág. 1/2



Mais sobre mim

foto do autor




Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2012
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2011
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2010
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2009
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2008
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2007
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2006
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2005
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D