Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]





Escolhas

por Clementine Tangerina, em 12.05.05


Talvez na vida possam ter existido determinados momentos que eu se pudesse os apagaria, sim hoje tenho a capacidade de dizer que o faria. Assumo que anteriormente dizia que me arrependia mais de aquilo que não fazia do que o que fazia. Hoje já não penso assim, os anos começam a passar e acho que deixei de "cuspir para o ar" como fazia anteriormente. Porque o receio que acabe por me cair em cima e me faça ter que engolir aquilo que disse, e por isso hoje tento ser mais racional e não tão impulsiva como era.
Penso que tudo o que nos rodeia, e todas as pessoas que nos vão passando pela vida fora, tem muita responsabilidade na pessoa que nos tornamos no futuro.
Arrumar o passado, é o melhor cartão de visita que poderemos oferecer ao nosso futuro. Com ele deixamos para trás, mágoas, rancores, tristezas, inseguranças e desconfianças.
Acho que parte de nós, conseguirmos ultrapassar as coisas menos boas que acontecem na nossa vida (e sempre aprendendo com elas), para conseguirmos dar valor aos momentos de pura felicidade que nos vão surgindo no nosso dia a dia. Porque a felicidade não nos bate à porta, ela está é em cada momento que vamos vivendo, bem escondida. Temos sim é que a conseguir identificar e dar-lhe as boas vindas para que ela possa ficar o máximo de tempo possível.
Eu acredito que ela tem estado comigo, talvez eu ainda não estivesse ou esteja preparada para a receber.
Mas todos esses sentimentos vão mudando, se hoje eu tenho a certeza do que preciso é de ter bons amigos ( neles incluo também a família), e que são realmente eles que me dão toda a felicidade do mundo, amanhã sei que vou querer muito mais. Que a felicidade que hoje sinto espero que amanhã se multiplique. A espera de mais e mais e mais e mais acaba por tornar-se numa droga que nunca é suficiente e que acaba por ter um sabor amargo quando não percebemos que já temos a “dose” suficiente para nos sentirmos bem e felizes.
Desde miúda que a minha mãe me dizia que eu era demasiado observadora, “…qualquer dia levas uma palmada de um estranho por estares sempre a olhar…” e era verdade, eu parava mesmo para observar os outros. Os gestos, os olhares, a maneira como falavam, os vícios…tudo em miúda me fascinava. Tudo o que não pertencia ao meu mundo me enchia de curiosidade. E ainda hoje sou assim, por vezes vejo-me em adulta a fazer o mesmo que em criança. Parar para observar os outros e nem sempre vejo coisas más…chego a sorrir sozinha por ver que alguém que passa por mim é feliz e que a sua felicidade é notada pelo mundo.
Ver os outro felizes deixa-me feliz, acho que um pouco de mim fica também feliz quando vejo e percebo que alguém naquele determinado momento está a viver um momento importante e que talvez considere único. É bom encontrar pessoas pela rua que ainda deixam passar nos seus gestos e nas suas palavras, momentos de felicidade.

Autoria e outros dados (tags, etc)


9 comentários

Sem imagem de perfil

De carlag a 12.05.2005 às 10:58

Gostei tanto de ler o que deixaste aqui.
A felicidade, é um estado de alma, não permanente, mas que se conquista... Em pequenos, grandes momentos, na simplicidade de gestos, na doçura das palavras.
Às vezes, na procura das "grandes" coisas, acabamos por nos distrair destes instantes. Que são imensamente ricos.
Um beijinho
Sem imagem de perfil

De open_secrets a 13.05.2005 às 12:31

O passado ajuda-nos a perceber o presente... a ser felizes no futuro...
Custa conhecê-lo, explorar as suas nuances, entender o porquê de sermos como somos...
Não o devemos esquecer, não devemos tentar mudá-lo... Talvez o melhor seja compreendê-lo, usá-lo para sermos mais felizes...
Espero que sejas feliz na procura da tua felicidade, desculpa a redundância...
E cá estou, para te ler e ouvir...
Jitos
Sem imagem de perfil

De Flôr a 13.05.2005 às 15:17

Viste o filme "O fabuloso destino de Amelie Poulin"?
Pois é, é dos meus filmes preferidos. Ela fica feliz por fazer os outros felizes, com coisas que aos outros lhes passam completamente ao lado, e que são tão banais que ninguém lhes liga, mas que são exactamente essas coisas que nos fazem felizes.
E é isso que ela tenta mostrar, que são as pequenas coisas da vida que nos fazem felizes, e que ficamos felizes de ver a felicidade dos outros.

Para a Minha Flôr...

vou continuar a mostrar-lhe que a felicidade se transmite através de um abraço, e de um simples beijo, e que ela faz e cada vez mais vai fazer parte da minha felicidade...

Beijos
Sem imagem de perfil

De Joana a 14.05.2005 às 22:53

A fugacidade dos momentos arrebata a nossa finitude... pois teimamos em viver como se fossemos imortais.
Olhar para a vida, compreendê-la e aceitá-la é uma Arte.
Se Deus exite... ele só testa os crentes... eu sou crente no meu caminho...
Sou porque ao longo do meu percurso acolhi amigos, amei, cuido de quem de mim cuida e a porta está sempre aberta para quem entrar e ficar ou só para quem quer vir pernoitar...
A Felicidade é o momento em que tudo na nossa vida está compassado com quem somos, quem queremos ser e com quem nos rodeira.
dica: ver "As Horas"
beijos
Sem imagem de perfil

De Desconhecida a 16.05.2005 às 10:54

Eu também adoro observar as pessoas, tentar perceber se aquilo que mostram, é, na realidade, aquilo que são.
Obrigada Tangerina pela visita.
Espero que voltes
Sem imagem de perfil

De Paulo Nuno a 16.05.2005 às 12:00

Parabéns pelo teu blog!
A felicidade é um estado do ser e a tua ideologia de vida parece ser cativante.
Obrigado pelo teu link do blog sobre a epilepsia.
Agradeço as futiras visitas e comentários tuas e de todos os teus visitantes.
Um abraço.
Paulo Nuno
Sem imagem de perfil

De Pedro a 18.05.2005 às 00:33

Pegando no que acabas, é nos pequenos gestos, nos movimentos das mãos e outros, que está a verdadeira identidade de cada um. Sabermos observar isso...é fantástico!
Sem imagem de perfil

De Desconhecida a 18.05.2005 às 09:46

Obrigada pela visita e pelo comentário.
Espero que voltes.
Sem imagem de perfil

De S. a 22.05.2005 às 02:54

Andreeeeeeeeeiiiiiiiiaaaaaaa! Carago, mulhere!
A bere!

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor




Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2012
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2011
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2010
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2009
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2008
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2007
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2006
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2005
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D