Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]





Função pública vs Argumentistas

por Clementine Tangerina, em 06.03.05


Recentemente apercebi-me que o facto de não sair de casa, não picar o ponto das 9.00 as 17.00h, significa que não trabalho. Comecei a pensar para mim mesma que profissões como Artistas Plásticos, realizadores, escritores,guionistas...são profissões classificadas aos olhos de muitos, como sendo "..profissões confortáveis..." já que pelo que ouvi da boca de alguns... "..não tem que sair de casa, não tem o patrão atrás de vocês a examinar o que produzem diariamente, não tem que picar o ponto, não estão limitados na hora de almoço e não tem objectivos a atingir.... No fim de ouvir isto e muito mais, tive que pedir ao "Motorista" que me deixasse respirar fundo para então depois lhe responder com toda a calma do mundo, "...pois não temos que picar o ponto, não temos o patrão atrás de nós, nem hora de almoço controlada, MAS TEMOS um problema maior que isso tudo, estamos dependentes da chamada INSPIRAÇÃO para escrever, estamos limitados a um deadline que muitas vezes é mesmo curto, e estamos dependentes muitas vezes dos apetites da pessoa que nos paga para nós criarmos um bom programa, ou um bom argumento. Acha isso pouco stressante?talvez seja, para os ditos "génios" que em Portugal são poucos aqueles que se sentam ao computador e em 1 hora conseguem escrever mais que uma página de guião...considera isso um bom trabalho? Se tivermos em conta que um guião pode ter mais de 20 paginas e que cada página demora mais de 1 hora a escrever, e que em média demoramos vários dias a encontrar a "tal" ideia para passar para o papel...pois sem dúvida alguma que o nosso trabalho é muito menos cansativo que o vosso."
Sem dúvida alguma que as profissões são diferentes, e que há trabalhos muito mais "puxados" do que os outros, mas também temos que deixar de criar o mito de que quem fica em casa tem uma vida muito menos stressante do que aquele que é funcionário publico.
Não estou a querer "defender a minha classe trabalhadora" pois não estouassim tão à vontade para falar dela, quanto isso, mas tenho-me apercebido das injustiças que existem.
Muitas vezes, os que me são próximos ouviram dizer-me em épocas que a saturação de procurar trabalho naquilo que gosto, quase se torna desesperador, que preferia ter sonhado em ser administrativa ou comerciante..não digo isto em tom de ironia, mas sim no aspecto que teria a vida mais facilitada, e os meus sonhos seria mais realizáveis dos que eu tenho agora. Como argumentista estarei sempre limitada ao programas que possam existir, e aos apoios que o ICAM possam vir a dar, estarei limitada ao orçamento que o programa poderá ter para a equipa de guionistas e o tempo que toda essa equipa tem para "criar" um programa. Se pensarmos que como administrativa, "o meu único" problema seria chegar a horas, cumprir o horário, tentar não faltar e na hora de sair, estar pronta, e não tinha que me preocupar com o levar trabalho para casa e não acordar durante a noite stressada com a falta de inspiração...diria que sim, a minha vida estaria bem mais facilitada.

Autoria e outros dados (tags, etc)


3 comentários

Sem imagem de perfil

De Flôr a 13.05.2005 às 16:31

Amiga, bem sei que não é fácil. Acho que respondeste muito bem ao teu "motorista", mas olha que a vida da "função pública", não tem como stress só o chegar a horas, e pouco mais.
Sabes que eu não trabalho na "função pública", mas tb não tenho uma profissão liberal/artista, mas tb levo trabalho para casa, acordo de noite stressada, fico c a barriga às voltas...

Por favor, não te deixes atingir por este tipo de comentários.
Escuta, interioriza, e repira:

"mulher séria não tem ouvidos!!", e sê mais Tu!

Beijos
Sem imagem de perfil

De Calvin a 22.05.2005 às 02:46

Os horários têm uma grande vantagem: compartimentam a vida. Trabalho é mesmo trabalho (hmmm... bem, adiante...) e conhaque é mesmo conhaque (esta é que é a parte importante). Ou pelo menos as condições para isso existem. Mas admito que trabalharia muito melhor numa esplanada (oh, tempos de Faculdade) do que nos buracos onde me enfiam. :o) Há vantagens e desvantagens em cada tipo de expediente, mas o que acaba por ser verdadeiramente importante e infelizmente comum a ambos, é a incompetência alheia. :o) O Sartre não era parvo de todo. :o)
Sem imagem de perfil

De gajo a 24.05.2005 às 13:40

sim. a criatividade pode ser um peso muito pesado e dificil de controlar... a ausencia de regras dá muito trabalho, o trabalho de tudo por em causa...

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor




Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2012
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2011
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2010
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2009
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2008
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2007
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2006
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2005
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D