Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]





Quem Nunca o Fez Levante o Dedo...

por Clementine Tangerina, em 06.05.09

Um destes dias eu e a minha querida sogra estávamos a cozinhar e ela confidenciou-me que uma conhecida nossa tinha terminado uma relação de dois anos. Questionei-a sobre a pessoa, e o que a tinha levado a terminar a relação, e segundo ela tinha havido conflitos entre o casal, chegando mesmo a ofensas verbais e a violência física. Estranhei a situação e questionei-a sobre o estado emocional da dita rapariga ao que ela me disse que estava a viver um dia de cada vez, mas que ainda gostava muito do ex.
Achei um pouco ridícula aquela situação, visto a minha sogra me ter revelado alguns "details" sobre o dito namorado, que ao fim de 2 anos de namoro recusava-se a conhecer a filha da namorada, que nunca a apresentava a familiares próximos, durante a semana nunca se encontravam e raramente falavam. Acrescentou-me ainda que ele não primava pela gentileza com ela, que muitas vezes ela se sentia um autentico lixo.
Perante tais revelações só pude dizer "...mas que bela auto-estima tem a Maria..." sim porque para mim tudo se resume a um problema de auto-estima.
E é aqui que eu me pergunto, quando é que se dá o clique e se percebe que é a altura de passar a borracha por cima de uma história? Quando é que percebemos que o outro não nos merece?
No passado vive algumas histórias destas e como todos, tive que aprender a lidar com estas situações e a passar a borracha, umas vezes mais rápido que outras.
Mas nem sempre se deu o tal clique, algumas vezes o factor "tempo" ajudou a apagar e a secar as lágrimas, mas houve casos que de um momento para o outro percebi e pensei para mim mesma "...este tipo não vale nada, porque é que me vou estar a lamentar?"
Deveria existir um manual de sobrevivência para o fim das relações, do tipo " 1º passo : pegar fogo a tudo o que lhe fizer lembrar o "defunto"; 2º passo: mudar de hábitos e rotinas, 3º passo: conhecer novas pessoas e mudar de visual..." acho que seria um bom principio para a "recuperação". Mas nem sempre existe o tal manual, e há que fazer de tudo para ultrapassar e enterrar de vez o tal defunto, porque o principal é aprender que em primeiro lugar estamos sempre nós e ninguém tem o direito de nós humilhar e nos fazer pedinchar por atenção.

Autoria e outros dados (tags, etc)


17 comentários

Sem imagem de perfil

De Bailarina a 06.05.2009 às 08:48

Se algum dia quizeres saber uma história parecida!! E como as coisas se passam diz, que eu conto-te!! É muito dificil ultrapassar...
Bjinho*
Sem imagem de perfil

De Cat* a 06.05.2009 às 09:02

Este é o manual da vida.
Aprendermos uns com os outros.
Termo-nos uns aos outros para crescer e evitar erros, ou minorar situações.

Qual era a piada, se soubessemos a resposta para tudo?
Sem imagem de perfil

De Poetic GIRL - BELA a 06.05.2009 às 10:19

Muitas vezes os sinais estão lá as pessoas é que não querem ver... talvez pelo medo de ficarem sózinhas não sei, mas conheço pessoas que insistem em relações que desde o inicio se vê que não iria nunca dar certo... mas penso que ainda muita gentinha tem "medo" de ficar sózinha... beijocas
Sem imagem de perfil

De kuka a 06.05.2009 às 10:45

Obrigada.e digo isto porque veio mesmo a calhar.Com o teu texto acho que me ajudaste ainda mais a dar esse passo e usar a borracha para apagar o restinho que faltava...agora é o tempo que ajuda.para dizer a verdade quase que chorava,lol,que parva,deve ser a tpm a falar :p

beijinhos
Sem imagem de perfil

De mjoaob a 06.05.2009 às 10:49

o meu post de ontem era sobre a sabedoria oriental e tem a ver...não há nada como a experiência para nos ensinar
:)
como um amigo meu diz: migalhas só são boas para quem come o bolo todo.

bjinho
Sem imagem de perfil

De Joana a 06.05.2009 às 11:11

Gostei do dramatismo do 1º passo!
:)
Sem imagem de perfil

De complicadinha a 06.05.2009 às 11:26

Também passa por admitir que se essa pessoa nos faz mal, mais vale acabar de vez com a relação porque ninguém sentir-se mal a vida toda. Perguntar: é isto que eu quero para mim?! E nem que a resposta se recuse a sair por palavras, no fundo nós sabemos que a resposta é não. E não se perde o que não se quer ter! ; )
Sem imagem de perfil

De Guilhim a 06.05.2009 às 14:45

Acho que todas temos pelo menos uma história destas que depois de passar quase que parece uma benção porque crescemos de uma forma que não seria possível sem passar pelos problemas!!

Gostei do detalhe do "defunto"... eu costumo dizer "o-meu-falecido-que-deus-o-tenha-por-muitos-e-bons-anos-longe-de-mim" porque na realidade é mesmo isso: alguém, ou a ilusão de alguém, que morreu!

Gostei do post e espero que muita gente o leia!
Sem imagem de perfil

De Pinipóne a 06.05.2009 às 15:36

Eu escrevi e não ficou o que escrevi... e agora, a esta hora e com este calor não consigo pensar... Azarito!
Sem imagem de perfil

De Elle a 06.05.2009 às 15:52

Tens um miminho no meu blogue.
Quanto ao tema, eu sou apologista que se deve fazer luto, cortar todo tipo de relação com a pessoa e seguir todos os passos que já referidos por ti.

Comentar post


Pág. 1/2



Mais sobre mim

foto do autor




Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2012
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2011
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2010
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2009
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2008
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2007
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2006
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2005
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D