Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Bem me Quer...

por Clementine Tangerina, em 09.06.09


Para mim um homem tem que me seduzir pelo seu charme, pela sua postura, pela forma discreta que seduz e pela paciência com que luta e insiste na conquista.
Tem que ser capaz de me seduzir sem que meio mundo perceba, tem que ser capaz de me fazer crer que sou única no mundo e que tudo o que já viveu é passado, tem que me fazer criar castelos encantados e sonhar.
Tem que saber seduzir os meus amigos e ser o maior cavalheiro do mundo e arredores, tem que saber que ordinarices e comparações com ex não é delicado. Perguntas só as de circunstancia, tudo o que possa suar a intimo não deve ser questionado.
A sedução é meio caminho para uma paixão, sem estes ingredientes dificilmente alguém se apaixona. Mas a sedução não é para todos, há quem prefira ultrapassar essa etapa e depois cai no ridículo.
Não é preciso ser o ultimo romântico dos românticos, mas há detalhes que não podem ser esquecidos. Eu sei que quando se está "caidinho" por alguém, só conseguimos olhar para a pessoa, mas há que tentar ser discreto e tentar através da nossa inteligência captar a atenção do alvo, sem que sejam precisas técnicas baixas e mais que directas.
O maravilhoso mundo da sedução começa quando conseguimos captar a atenção da pessoa que pretendemos. O prazer dos jogos de sedução está ai mesmo, em criar interesse no outro, e ser ele a procurar e ao memo tempo fazer com que responda à nossa sedução.
E é tão bom seduzir e ser seduzido!

Autoria e outros dados (tags, etc)


Fantasias...

por Clementine Tangerina, em 22.05.09


Há uns tempos uma amiga disse-me que uma das suas fantasias era cantar a música das The Pussycat Dolls " Don't Cha" a um rapaz e a namorada tinha que estar ao pé a assistir.

É claro que desatei a rir às gargalhadas, no entanto não deixei de lhe achar uma certa piada pela letra da música obviamente e pelo atrevimento da minha amiga.


Quem nunca desejou provocar à cara pobre a namorada de um rapaz pelo qual se sentia atraída ? Quem é que nunca quis provocar até deixar o pobre do rapaz com as calças na mão?


Mas há que quer classe minhas amigas, há fantasias e fantasias...todo o cuidado é pouco quando se mete o bedelho onde não se é chamado...pezinhos de lã e olhinhos bem atentos ao comportamento alheio, porque pode virar-se o feitiço contra o feiticeiro.

Nunca fui de provocar ninguém, muito menos namoradas...pois acho que o mais provável era acabar enrolada num valente escândalo...pois acredito que nenhuma namorada que visse o seu namorado a ser provocado iria ficar a olhar apaticamente para a situação ou então bater palminhas de alegria até lhe doer as mãozitas. Já estou a imaginar... o circo montado, cabelos despenteados, roupa rasgada, unhas partidas e bofetada para lá e para cá! Linndo de se ver!

E quem é que iria ficar com o ego em alta? O rapaz, obviamente...e será que valeria a pena tanto trabalho por tão pouco ? Não me parece, não me parece de todo!
Mas a verdade seja dita, um pouco de adrenalina na nossa vida também faz parte...ohhh se faz!

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:


Eles e os Perfumes....

por Clementine Tangerina, em 15.05.09

Uma das coisas que eu gosto é de me cruzar com homens que usem bons perfumes, acho que o perfume revela muito sobre a pessoa, sobre o seu bom gosto, sobre o cuidado que tem em escolher um perfume que o acaba por caracterizar. Mas há coisa que me irrita seriamente nos homens que é o exagero de perfume que colocam, o que se torna desagradável para quem é cumprimentada. Quase todos os dias um senhor que tem escritório aqui no mesmo edifício, vem tomar café aqui ao corredor e faz sempre questão de me cumprimentar com duas beijocas na cara...o que acontece é que eu fico com o cheiro do perfume dele a manhã inteira...e não é que seja mau o perfume, mas não gosto. Uma coisa é o J. a deixar o rasto dos perfumes dele, outra coisa é ser outro homem.
Não gosto, odeio...e acabam de me deixar o rasto do seu perfume...só me apetece ir lavar a cara para isto sair.
Por isso homens do mundo e arredores, façam favor de não abusar do perfume, principalmente na cara e nas mãos...porque as pessoas que se cruzam com vocês não tem que levar o vosso perfume para casa!

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:


Misteriosa Atracção...

por Clementine Tangerina, em 12.05.09






Quando me contou a história só pude dizer-lhe "não queria estar no teu lugar...", não era pela história em si, era pela angústia que seria ter uma história daquelas, entre mãos.

Na altura ele solteiro mas com namorada e ela casada e com um filho.
A história começou quando tinham trabalhado juntos, num projecto fora de Portugal que exigia que ambos estivessem distantes da família.
Durante seis longos meses começou a existir uma amizade entre eles, com muita cumplicidade e muito carinho entre eles.

O facto de ela falar muito no seu filho fazia com que ele ficasse também à vontade para não se preocupar com possíveis envolvimentos. Ambos sabiam que estavam ali para cumprir com as suas funções e regressar para as suas famílias.
Com o passar do tempo ela começou a perceber que ele era realmente um ser humano admirável, que lhe gabava a simplicidade, a inteligência e a forma de ser e de estar. Sem dar por isso começou a olhá-lo com outros olhos, a gostar de lhe mandar umas piadas para o provocar, mesmo sabendo que nunca iria passar disso mesmo. Piadas.
Para ela nunca existiram segundas intenções, pois via nele um amigo, alguém com quem gostava de criar uma amizade mais forte, alguém com quem gostava de lidar no dia a dia.

Ele por seu lado, envolvido no trabalho raramente deu importância as piadas dela, mas registou-as, sabia que existia algo ali mas que provavelmente não deveria ser mexido para não complicar.
Ela acabou por desabafar com ele questões de trabalho e ele foi na onda e também acabava por se apoiar nela visto estarem ambos longe de casa.
Os seis meses passaram rapidamente, um vivia no centro do pais e o outro no interior e por isso só se falavam de tempos em tempos e era sempre de uma maneira cordial mas sempre com a tal piada provocadora pelo meio.
Ele casou entretanto, ela ficou a saber só alguns meses depois...não ficando feliz por ter sabido...havia algo nela que não tinha gostado, mas não sabia explicar porquê.

Algum tempo depois voltaram a falar por email e desta vez foi ele a provocar, pois queria saber afinal o que é que havia por ali mal resolvido que nunca ficou a saber...ela por sua vez ficou espantada com a frontalidade dele. Ele perguntou-lhe quando é que combinavam o tal almoço do qual tinha falado havia meses, e ela respondeu-lhe que já tinha estado na sua cidade várias vezes, mas que tinha sido de passagem e que queria estar com ele o maior tempo possível.

Mais uma vez ele ficou com a pulga atrás da orelha, pois ela voltava a fazer os jogos que tinha feito anteriormente, com vontade de resolver e saber afinal o que existia entre eles, ele disse-lhe que podia combinar quando lhe fosse conveniente.
Email para cá, email para lá e ela acabou por lhe revelar que achava que entre eles existia uma misteriosa atracção, existia algo que só eles sabiam, e que só eles percebiam. Que o facto de nunca ter existido nada entre eles, talvez criasse um mistério só comparado à velha história da caixa de pandora. Ele pela primeira vez acabou por concordar com ela, "sim, talvez exista...mas conheces a história da pandora?" e ela rapidamente chegou ao ponto que ele se referia "sim, claro que sim, mas não iremos criar assim tanto mal quando a abrirmos..."!
Ele começava a ficar confuso, por um lado ela tinha-lhe tocado num ponto que tinha decidido nunca tocar, uma história que tinha ficado no passado e que tal como ela disse e bem, não passou de um mistério, de algo importante para eles mas que talvez não fosse mais que isso, uma atracção. Por outro lado ambos tinham uma familia e não se sentia bem por estar naquela posição, afinal nunca tinha havido nada entre eles até então, e se de repente no tal almoço surgisse algo? As dúvidas ficaram no ar.

Num dos email ela apressou-se a dizer-lhe que nunca tinham existido segundas intenções com ele, que existia a tal química, mas que nunca a tinha feito pensar em algo carnal, mas se um dia lhe passasse pela cabeça tal coisa era sem dúvida ele a pessoa com que gostava de ter segundas intenções e perguntou-lhe se ele sentia o mesmo que ela. E ele atrapalhado mas certo das suas palavras disse-lhe "...não podia estar mais de acordo."!


A partir desse momento chegaram os dois a um acordo, que afinal tudo aquilo que se tinha passado há alguns anos atrás, tinha estado adormecido e que num simples clique tinha sido acordado.

E é aqui que eu distante da história, distante do que me foi contado me questiono...se isto não me podia acontecer, se não podia estar no papel de um "ele" ou de uma "ela" ou mesmo ser as "terceiras pessoas". Com o passar dos anos percebi que o ser humano é difícil de lidar, porque traição é aquela que é física mas também é a que é feita psicologicamente e quer queiramos quer não, estarão estes dois a trair os seus maridos e mulheres ? Será que a partir do momento que uma pessoa se sente atraída por outra já podemos considerar que está a trair? É dificil explicar, é difícil aconselhar e ainda mais pôr-me no lugares deles.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:


La Crème de la Crème

por Clementine Tangerina, em 11.05.09


A grande preocupação do ser humano é agradar. Seja ele namorado, amigo colorido, ex-namorado, amigos, sogra. E há ocasiões que pedem mais atenção da nossa parte na escolha do guarda-roupa e da make-up. Quem nunca se cruzou com um ex num dia que se sentia totalmente "down" que não se sentia no seu melhor, que logo nesse dia tinha optado por não se maquilhar...quem nunca teve um encontro surpresa sem contar com a sogra ( no principio de relação) com a irmã e o melhor amigo do namorado e se sentiu mal por não se sentir minimamente bem apresentada ?

E são estes detalhes que só nós mulheres damos importância, que para eles é perca de tempo.

Por exemplo o momento que conhecemos as sogras e os melhores amigos são normalmente um marco na história dos namoros, porque ou temos a sorte de cairmos nos encantos das donas mães dos nossos namorados ou então está o caldo entornado. Normalmente as apresentações são num almoço ou num jantar, e os namorados dizem sempre o mesmo "...ahhh e tal o ambiente é descontraído...não te preocupes com a roupa, qualquer trapinho te fica bem..." mas nós não caímos nessa e fazemos sempre questão de estar “au point" como o momento pede!

Depois quando chegamos normalmente não nos arrependemos de termos demorado uma eternidade a arranjarmos e a aprontar-nos, porque as atenções quer queiramos quer não são totalmente direccionada para nós. "Olha, é a "NOVA" namorada o X...tem bom gosto, olha como ela bem elegante...gosto dos sapatos...o cabelo está bem tratado..." e por ai fora...estes comentário são comuns...quem nunca fez o papel de namorada e de amiga que vai conhecer a namorada de um amigo?

Estranhamente não me recordo nada do dia que conheci pela primeira vez os amigos do J. (será porque só os conheci já namorávamos há quase 1 ano...e até lá achava que talvez eu fosse a "outra"?!), mas não me esqueço nada do dia que conheci a mãe dele... não tinha passado mais de dois meses desde que tínhamos começado a namorado e o padrasto do J. faleceu...pimba qual jantar, qual almoço...fui apresentada à família toda ali naquela cerimónia que de feliz tinha muito pouco!

Passados quase 4 anos, acho que não me estava a ver a conhece-los de outra forma...(claro que no funeral foi um pouco bizarro...) tinha que ser algo descontraído e inesperado...e graças a Deus que assim foi.

Por isso caríssimos homens deste pais, não estranhem quando as vossas namoradas/ mulheres, se demoram um pouco mais na preparação de uma saída à noite...pois é sinal que querem estar impecáveis para "as vossas pessoas"!

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:


Mais sobre eles...

por Clementine Tangerina, em 10.05.09



Ontem à noite a casa encheu-se de homens ( literalmente)...o J. finalmente convidou os amigos ( Quatro rapazes solteiríssimos) para virem cá jantar.

Foi interessante ouvir as conversas deles, visto estarem em maioria a conversa basicamente foi masculina, mas acabou por se tornar divertido para mim porque aprendi mais sobre eles e como pensam e actuam em algumas situações.

Uma das conversas que ouvi, foi um deles dizer para o outro:

"- Eu agora com a compra da casa vivo praticamente em lojas de decoração...e olha que me agrada muito...lá é um bom sitio pá...praticamente só mulheres, acompanhadas pelas mãezinhas e pouco mais...ahhh e há lá umas bem jeitosas...já para não falar que as empregadas se derretem todas por verem um homem numa loja daquelas a escolher cortinados e tapetes...tens que lá ir...vais gostar da clientela!"

Perante tal conversa só consegui rir às gargalhadas, e nunca tinha pensado de como há efectivamente locais onde praticamente só existem mulheres e outros onde só existem homens, vejamos então o local ideal para encontrar homem seria num estádio de futebol?

Minutos depois um outro rapaz aconselhou um outro amigo (que estava nervoso para ir ter com uma rapariga e que já estava atrasado uma hora...):

"- Epá deixa a rapariga esperar, isso faz-lhes bem...tu não podes andar sempre atrás delas se não elas acham que te tem na mão...vais ver que ela daqui a pouco vai enviar-te uma sms a perguntar se estas demorado."

Parecia mentira mas bem dito bem certo, nem 5 minutos passaram e o telemóvel tocou, foi risada total obviamente...e é claro que era a tal rapariga, e o conteúdo era "Então sempre vens? Estás demorado?"!

Será que somos assim tão previsíveis ? Será que os homens nos conhecem assim tão bem?

Numa coisa temos em comum, é que quando estamos numa fase de sedução, não queremos dar o braço a torcer e não queremos ser nós a dar o primeiro passo, não queremos ser rotulados como fáceis e desesperados, pois achamos sempre que é isso que o outro vai pensar se formos nós a tomar iniciativa.

Mas há que mudar mentalidades, às vezes temos mesmo que tomar conta da situação porque caso contrario o que podia até ter futuro acaba em saco roto.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:


Mais sobre mim

foto do autor




Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2012
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2011
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2010
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2009
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2008
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2007
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2006
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2005
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D