Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]





True...

por Clementine Tangerina, em 10.06.09

Conheceram-se quando estudaram juntos, uns anos depois ela mudou de cidade e a relação que tinham passou a ser vivida através de cartas e de telefonemas.
300 e muitos quilómetros era o que os separava, mas dia para dia era cada vez mais difícil se manterem afastados. Ele surpreendia-a muitas vezes e apanhava o primeiro comboio da manhã e ia espera-la à porta de casa antes de ela ir para a faculdade. Durante dois dias conseguiam esquecer que viviam vidas separadas.
Durante dois anos viveram uma vida dividida entre Coimbra e Braga, foram muitas as lágrimas nos momentos de partida, foram muitas as viagens feitas com vontade de acabar de vez com aquela separação. Mas não havia muito a fazer, foram obrigados a esse afastamento e tinham que saber viver da melhor maneira.
Ele confiava nela cegamente, acreditava que ela era realmente uma pedra precioso e tudo o fazia crer que era a pessoa para viver o "sempre" com ele. Mas de um momento para o outro percebeu que talvez não fosse bem assim, recebeu um telefonema anónimo a dizer-lhe que ela andava a sair com um homem casado, com quem mantinha uma relação já alguns meses. Foi a gota de agua, num momento estava tudo bem e no momento a seguir o chão tinha desabado. Gritou, chorou, rasgou todas as cartas que ela lhe tinha escrito, deitou fora todos os cd's e fotografias que tinham juntos. Ela implorou, jurou que não tinha sido nada importante, mas para ele todo aquela história fez com que ele perdesse o de mais importante havia entre eles, a confiança.
Durante dois longos anos, ele pensou nela e na história que tinham vivido, das loucuras que tinham feito juntos e das viagens que fez para estar com ela. Ele continuava amigo da irmã dela que insistia para que ele a esquecesse, que a história deles há muito tinha terminado. Mas no fundo, ele ainda vi-a alguma esperança, mesmo depois de ela o ter magoado tanto.
Durante dois anos, não conheceu ninguém, viveu para si e para o seu amor platónico. Durante dois anos, recusou sair com amigas dos seus amigos porque não se sentia capaz de voltar a amar, acreditando mesmo que um dia iria voltar para ela.
Dois anos se passaram, e a noticia chegou através da irmã dela. Caiu que nem uma bomba, mais uma vez ele perdeu o chão, voltou a gritar, a não crer que seria possível desiludir-se mais com ela...mas enganou-se e desta vez era mesmo definitivo, tinha que a esquecer. Afinal a relação com o tal homem casado, tinha dado frutos, uma gravidez indesejada.
Ela continuava a viver a sua vida, e mesmo quando se deslocava à cidade dele recusava ligar-lhe, sabia que seria pior para ambos, mas com a noticia da gravidez ela precisou dele.
Estaria ele disponível para ela ?

Autoria e outros dados (tags, etc)


8 comentários

Sem imagem de perfil

De Inês a 10.06.2009 às 01:25

Gostei bastante do blog :O
Tanto que :$ deixei um desafio para ti no meu blog, espero que aceites :3
Beijinho *
Sem imagem de perfil

De Mia a 10.06.2009 às 01:44

A estória é a da distância mas o que me trouxe aqui foi mesmo o nome fabuloso do teu blog. Gosto.

Aprenderemos o Amor em Full Time?
Sem imagem de perfil

De tanya a 10.06.2009 às 07:43

Não deveria estar, se nunca conseguiu seguir em frente com a sua vida, uma reaproximação seria ainda pior. Mas por outro lado poderia ser o ombro "amigo" tão precioso para ela nesse momento, embora pense que seria uma situação muito injusta!
Sem imagem de perfil

De Juky a 10.06.2009 às 12:26

Acho que ele vai estar lá para ela... não consigo decidir se acho certo ou errado... mas acho que sim, vai estar lá...

beijinhooo
Sem imagem de perfil

De Laetitia a 10.06.2009 às 12:33

Isto do amor é sempre complicado, mas nunca sabemos como vai ser o amanhã. Eu não sei se seria capaz de "estar lá". Não consigo voltar a ser a mesma depois de me apunhalarem, de não demonstrarem o minímo respeito para comigo.Mas, e de qualquer forma, se ele a ajudar será concerteza uma "bofetada de luva branca". E eu, mesmo não o conhecendo passarei a admirá-lo.:)
Sem imagem de perfil

De Ca Delicious a 10.06.2009 às 15:42

Que memórias esta história me tras...
Sem imagem de perfil

De Ruthy a 10.06.2009 às 17:31

Oi!
Vim pela primeira vez visitar este espaço e deparei-me logo com uma história que me é muito familiar... no entanto já lá vão seis anos, sempre estive lá para ele quando precisou de desabafar e quando eu precisei levei com "não foste capaz de esperar por mim e refizeste a tua vida", será melhor clarificar que ele refez a vida dele há seis anos e está prestes a ser pai mas eu tinha de esperar por ele... enfim!
Acho que não é preciso dar a minha opinião, certo?

Bjokas

P.S.- Gostei e vou voltar a aparecer!
Sem imagem de perfil

De Nanda a 10.06.2009 às 19:32

Há um livro fantástico, "Servidão Humana", que relata uma estória parecida. Li-o aos 17 anos, há tanto tempo!, e de quando em vez volto a reler. O final dessa relação conturbada só acaba com a morte dela. Aqui, sim, ele vai aprender a ser feliz junto de outra.
Espero que este final não seja tão trágico.
Há relacionamentos que pecam pelo trágico, são escolhas...

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor




Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2012
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2011
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2010
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2009
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2008
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2007
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2006
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2005
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D